Sobre Nós

 

A APOE – Associação de Proteção e Orientação aos Excepcionais é uma Instituição filantrópica, fundada em 24 de abril de 1964, com capacidade para 400 atendimentos especializados. Atende pessoas com deficiências intelectuais, auditivas, Transtorno Espectro Autista – TEA e múltiplas (desde que tenham uma das duas primeiras) de 0 (zero) anos de idade ao idoso e suas famílias, do município de Campos dos Goytacazes e adjacências. É uma entidade de direito privado, sem fins econômicos, político-partidários ou religiosos, que desenvolve ações nas áreas de assistência social, saúde e educação, além de oficinas com capacitação para o mercado de trabalho.

Através de uma equipe técnica multiprofissional, objetiva auxiliar no desenvolvimento das potencialidades dessas pessoas e estimular sua inclusão em todos os segmentos da sociedade. As atividades realizadas pela APOE tem preponderância na área de Assistência Social, conforme prevê o Estatuto da Organização em seu Art. 1º que menciona que “a Instituição é uma associação sem fins lucrativos, beneficente e filantrópica, de caráter assistencial, social (…)”, tendo como seus objetivos: “Promover o bem-estar (…) das pessoas com deficiências de todas as idades, onde quer que estejam: em casa, no trabalho, na comunidade, nas instituições e nas escolas”.

O trabalho da APOE é respaldado pela Constituição Federal de 1988, que representou um marco de mudanças ao assegurar mínimos de proteção social a todos os cidadãos; pela Lei 8.742/93 (atualizada pela lei 12.435/2011) que preconiza em seu art. 2º que um dos objetivos da Assistência Social é a “habilitação e reabilitação das pessoas com deficiências e a promoção de sua integração à vida comunitária”; pela resolução CNAS Nº145/2004 que aprovou a Política Nacional de Assistência Social e nº109/2009 que aprovou a Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais; também se respalda nos decretos e convenções internacionais/ nacionais que se destinam a garantir os direitos das pessoas com deficiências, como o decreto nº 6.949/2009 (convenção internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência) e o decreto 7.612/2011 (Plano Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência – Plano Viver sem Limite).

Todo o trabalho da instituição é desenvolvido de segunda-feira a sexta-feira, onde atua diretamente tanto com atendimentos especializados, oficinas e grupos, bem como, realiza: Acolhida; Escuta; Informação, comunicação e defesa de direitos; Articulação com os serviços de políticas públicas setoriais; Articulação da rede de serviços socioassistenciais; Articulação institucional com o sistema de garantia de direitos; Atividades de convívio e de organização da vida cotidiana; Orientação e Encaminhamentos pra a rede de serviços; Referência e contrarreferência; Construção e Acompanhamento do Plano Individual e/ ou familiar de atendimento; Orientação Sociofamiliar; Estudo Social; Diagnostico Socioeconômico; Cuidados Pessoais; Desenvolvimento do Convívio familiar, Grupal e Social; Acesso a Documentação Pessoal; Apoio a Família na sua Função Protetiva; Mobilização, Identificação da Família Extensa ou Ampliada; Mobilização e Fortalecimento do Convívio e de Redes Sociais de Apoio; Mobilização para o Exercício da Cidadania e Elaboração de Relatórios e/ ou Prontuários.

Essas ações objetivam o estímulo à promoção da autonomia e melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiências e suas famílias, estipulando metas junto a essas para a superação da violação de seus direitos e vulnerabilidades apresentadas, promovendo seu acesso à rede socioassistencial e outras políticas públicas. Além disso, buscam assegurar o direito das pessoas com deficiências ao convívio familiar e comunitário, auxiliando, assim, as famílias na sua função protetiva, na mesma proporção que auxiliam a reduzir a sobrecarga de trabalho ocasionada pelo cuidado da pessoa com deficiência no âmbito dessas. Atua, também, no sentido de romper com o histórico isolamento e exclusão social das pessoas com deficiências.

As famílias são acompanhadas tanto individualmente pela equipe interdisciplinar como coletivamente por meio de grupos. Os grupos tem se constituído na APOE como um espaço importante de socialização, convivência e trocas de experiência. São espaços onde as demandas se expressam mais livremente e a equipe pode desenvolver uma proximidade necessária a uma efetiva atuação, bem como abordar temas relacionados aos direitos dessas. O trabalho socioeducativo com famílias aborda questões relacionadas à cidadania, políticas sociais, gênero, entre outros.